Associação "Os Montanheiros"

Património Natural

É aquilo que nestas ilhas o homem herdou e ainda não destruiu…

É o mar que nos rodeia, da mais ínfima micro concha ao maior do cetáceos que vemos passar ao largo. É a orla costeira, semeada de pequenos penedos, de praias de areia cinzenta e de ilhéus ou vulcões que nasceram do mar. São todas as aves marinhas ou migratórias que arribam de meses a meses; as errantes, que se desviam da rota e não erram a ilha; as residentes que se foram açorianizando. Os insectos, as aranhas, outros bichos e bichinhos; são os líquenes e os musgos; as algas terrestres e as bactérias. São as plantas… sejam árvores ou monda, sirvam para alguma coisa ou para coisa nenhuma… as que trepam as arribas e as que cobrem os matos. São florestas densas, são bosques esparsos. São vulcões adormecidos; nascentes, lagoas e ribeiras; escarpas, vales, e grutas; fumarolas, fontes hidrotermais e montes submarinos. São as montanhas que ultrapassam as nuvens … e só não são as próprias nuvens por serem tão efémeras. São todas as cores do arco-íris, quando aparece. Sem arco-íris: é o verde, é o azul, é o cinzento e o negro… por vezes o amarelo.

Património natural são as paisagens, aquilo que as molda, aquilo que as povoa. É o que temos de melhor.

Quem conhece gosta, valoriza, preserva. É assim connosco, com estes Montanheiros, para quem as avenidas se ligam naturalmente às cumeeiras dos vulcões.

 

Imagens: Os Montanheiros/ Filipe Lourenço/ Paulo Figueiredo