FAQs

  O Museu Vulcanoespeleológico ocupa o rés do chão da sede social da Associação Os Montanheiros, na Rua da Rocha nº8, na cidade de Angra do Heroísmo.

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO *:

SEGUNDA a SEXTA

08h00 -12h00 e das 13h00 – 16h00 

*  Encerrado aos feriados nacionais e regionais e tolerâncias de ponto.  Horário sujeito a alteração.

*INFORMAÇÃO IMPORTANTE:

A Sede dos Montanheiros e Museu Vulcanoespeleológico serão alargadas e por esta razão, estão a decorrer obras no imóvel anexo. Devido aos elevados níveis de ruído e por não haver condições para uma normal visita ao Museu, a Direção da Associação Os Montanheiros, decidiu encerrar o espaço até dia 23 fevereiro, podendo este período de encerramento ser alargado.

 

PREÇÁRIO: Gratuito (doações são gratamente aceites)

REGULAMENTO DE VISITAÇÃO:

– Horas de encerramento: 12h00 e  16h00

– Visitas com a duração aproximada de 15-30min (dependendo do interesse do visitante)

– Visitas não  guiadas, é dado um briefing à chegada

– Visitas guiadas perante marcação (grupos escolares)

– Não é permitido tocar nas superfícies e equipamentos

– Não é permitido comer ou beber durante a visita

– Não é permitido fazer recolha de imagens e nem de som dos funcionários dos Montanheiros e dos outros visitantes

– É permitida a recolha de imagens apenas da exposição

OUTRAS INFORMAÇÕES ÚTEIS:

– Tem Wifi gratuito

– Casa de banho disponível

– Rampa de acesso para pessoas de mobilidade reduzida

A primeira exposição dos Montanheiros –  1963 a 1980

Nas expedições às cavidades vulcânicas, os Montanheiros foram recolhendo várias amostras geológicas, trazendo para a luz do dia o que até então era desconhecido.

A primeira exposição rudimentar começou nos finais dos anos 60 na então sede social sito na Rua de S. João e permaneceu até 1 janeiro de 1980, quando ocorreu o grande terramoto na ilha Terceira.

The Volcanospeleologic Museum is at the ground floor of Montanheiros Association Headquarters, at  Rocha Street 8, in Angra do Heroísmo city.

OPENING SCHEDULE *:

MONDAYS to FRIDAYS

08:00 -12:00 and from 13:00 – 16:00 

* Closed on national and local holidays. Schedule subject to change.

*IMPORTANT INFORMATION:

The Montanheiros Headquarters and Volcanospeleologic Museum will be expanded and for this reason, works are taking place in the attached building. Due to the high noise levels and the lack of conditions for a normal visit to the Museum, the Montanheiros Association decided to close the Museum until  February 23rd. This closure period may be extend.

 

ENTRANCE: Free (donations are gratefully accepted)

VISITATION RULES:

– Closing hours at 12:00 and at 16:00

– Visits last approximatly 15-30min (depending of visitors interest)

– Non-guided visits, a brifng is given at the begining of the visit

– Guided visits just by booking (school groups)

– It’s not allowed to touch surfaces and equipments

– It’s not allowed to eat or drink inside the museum

– It’s not allowed to collect images and sound of Montanheiros employees and other visitors

– It’s allowed to take pictures and footage only of the exhibition

OTHER USEFULL INFORMATIONS:

– Free Wifi

– Bathroom available

– Acess ramp for persons with reduced mobility

Nova casa com um espaço dedicado ao um futuro espaço museológico – 1986 a 2012

A 1 dezembro 1986, foi inaugurada a nova sede da Associação Os Montanheiros, na Rua da Rocha,  já com um espaço reservado ao futuro museu. No inicio da década de 90, o então Museu Vulcanoespeleológico Machado Fagundes abria portas ao público e este permaneceu em funcionamento até janeiro de 2012, altura que teve inicio as obras de melhoramento da sede e do espaço museológico.

Museu Vulcanoespeleológico dos Montanheiros 

O agora remodelado museu, com maior área e melhores condições de visitação, quer para pessoas com ou sem limitações, com novos expositores, iluminação e nova maqueta geomorfológica, reabriu portas a 1 dezembro 2019.

Devido ao elevado espólio, realizou-se também um inventário de todas as peças expostas e de muitas mais que se encontram em reserva.

 

Museu Vulcanoespeleológico

Desde o início da sua atividade que os Montanheiros mostraram uma forte ligação às questões que se prendem com a geologia, assim como um apreço muito especial pelas singulares formações e estruturas naturais que as cavidades vulcânicas encerram.

Com as primeiras expedições espeleológicas surgiram também as primeiras amostras, trazidas à luz do dia para fins científicos e, obviamente, para suscitar a curiosidade das pessoas, aliciando-as a uma causa que então estava a dar os primeiros passos.
Uma após outras as amostras tornavam-se num conjunto digno que ser exposto.

O Museu

Infelizmente as condições económicas, pouco favoráveis, limitavam em muito as pretensões desta associação ainda jovem. No entanto, de forma muito rudimentar, em cima de simples prateleiras, avançou-se com uma exposição permanente que na época chamava já algumas pessoas mais curiosas. Estávamos em finais dos anos 60.

Com o tempo, mais expedições, mais trabalhos de campo foram sendo realizados tendo-se paulatinamente conseguido recolher um vasto espólio num espaço museológico sempre adaptado para o efeito, não fosse o facto da associação nos anos 70 ainda estar em sede alugada. De quando em vez organizavam-se aberturas à população interessada, de exposições em que o material era apresentado de uma forma mais cuidada.

Na década de 80, após a aquisição das ruínas do prédio que haveria de se tornar na primeira sede própria da associação, projetou-se a reconstrução com um espaço construído para este efeito. Abandonava-se a designação de “exposição” para substitui-la por “sala-museu”. Mas também aqui o avanço era parcial: à dignificação do espaço não correspondia a adequação do equipamento, como os expositores. A este novo espaço foi atribuído o nome de museu vulcanoespeleológico “Machado Fagundes”, numa invocação à memória de um sócio a quem os Montanheiros muito ficaram a dever.

Ao longo do tempo “Os Montanheiros” vieram a enriquecer esta sua sala-museu com diversas formações, características das cavidades vulcânicas dispersas pelo arquipélago, constituindo assim o rico espólio de amostras que possui e que permite ao visitante e entendido obter um maior conhecimento da geologia destas ilhas.

Tão valioso material, como o que aqui se pode encontrar, por si só já justificaria um importante investimento no seu acondicionamento e exposição. Cientes dessa importância foi-se, ao longo dos anos, melhorando o espaço museológico, e novas exposições foram montadas, para serem observadas por ocasião das comemorações dos aniversários da associação e sempre que o pedido dos interessados coincidisse com as possibilidades dos elementos da Direção em facultar a entrada.

Durante os anos 90, procederam-se a obras de ampliação da sala-museu, bem como a diversas beneficiações do espaço e estruturas de apoio, transformando esta no que agora pretensiosamente é chamado de museu vulcanoespeleológico.

Neste espaço, onde estão representados materiais e estruturas diversas resultantes na génese vulcânica destas ilhas, é possível encontrar também a representação 3D em maqueta de 6 das 9 ilhas dos Açores, uma xiloteca, uma coleção sobre barros da Terceira, fósseis, um extenso conjunto de fotografias sobre paisagens das ilhas e a representação das áreas protegidas nos Açores.
Atualmente é visitado por muitas centenas de curiosos e interessados, nomeadamente inúmeros grupos escolares. É agora um espaço de ação didática junto dos alunos que o visitam, e que ao mesmo tempo apoia no conhecimento todos os visitantes que acorrem a estas paragens.